"Está na missão da Igreja opor-se a toda forma de erro ou de mal, e não só à que for de efeitos muito duráveis. Pactuar com a Revolução é fomentar as paixões desordenadas de que ela nasce. Não é assim, nem calando-se sobre a verdade e o erro, que se guia o povo para o bem. É preciso contar com o auxílio divino e afirmar animosamente a verdade."

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

EXPANSÃO DO APOSTOLADO DO SAGRADO CORAÇÃO NO BRASIL



Em agosto, na cidade de Franca, interior de São Paulo, inspirados por voluntarios da AASCJ, começou a ser divulgada a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, juntamente com a Missa Tradicional Católica em Latim. Esta conquistasó foi possivel graças ao trabalho voluntários de vraias pessoas em Franca e em São Paulo. em especial, mencionamos a importante participação do Sr. Marcos Sulivan.



Em setembro, Prof. Dr. José Jivaldo Lima - Coordenador do Voluntariado da AASCJ-GO - começa o trabalho de divulgação da Devoção do Sagrado Coração de Jesus no Estado de Goiás.



O insigne professor, começa o apostolado, com a Santa Missa sendo oferecida em todas as intenções dos participantes das campanhas da AASCJ. O pólo inicial do apostolado esta situado na belíssima cidade de Goiás Velho, estado de Goiás, reconhecida como Patrimônio Histórico e Cultural Mundial por sua arquitetura barroca peculiar e por suas tradições culturais.
Já há grupos para a reza do Santo Rosário, MISSA EM LATIM NO RITO ROMANO DE SÃO. PIO V, todo fim de semana.
O grupo de voluntários está coordenando missas solenes à Santa Terezinha, ao Sagrado Coração, São José e N. Sa. de Fátima.
NESTE SÁBADO dia 02/10/10, Prof. Jivaldo convida para assistir a Santa Missa que será celebrada às 19:00Hs, na AV. 1º. DE MAIO, Nº. 5477, QD. 12, LT. 06 - JD. VILA BOA - GOIÁS
No momento, o contato poderá ser feito por E-mail
prof.jiva@yahoo.com.br

Para o futuro, estaremos divulgando o número telefônico.

Prof. Cláudio Antônio Arantes Pompeu - Coordenador Nacional do Voluntariado AASCJ

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus



Plinio Corrêa de Oliveira

Os senhores sabem que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus encontra-se na raiz de todos os movimentos contra-revolucionários maiores ou menores, mais conhecidos ou menos, que eclodiram a partir do momento em que Santa Margarida Maria recebeu essa revelação no século XVII. Ela recebeu a incumbência de, em nome do Sagrado Coração de Jesus, [pedir] ao rei Luís XIV, que consagrasse a França ao Sagrado Coração e que pusesse nas armas da França o Coração de Jesus.
Ela prometia ao rei que desde que ele se resolvesse [a] atacar os inimigos da Igreja, o Coração de Jesus o ampararia, conduziria seu reinado a uma grande glória etc., etc. [cfr. Marguerite-Marie Alacoque, Vie et oeuvres, Saint Paul, Paris-Fribourg, 1990, t. II, pp. 335-337, 343-344, 435-436]. O Sagrado Coração de Jesus estava esperando de Luiz XIV é que ele mudasse a orientação que tinha e se pusesse à testa da Contra-Revolução. Uma vez que fizesse isso, haveria para ele um reinado de glória e haveria para a França um verdadeiro apogeu, mas um apogeu católico. É evidente que nesse caso, a devoção ao Sagrado Coração se teria estendido pelo mundo inteiro, teria havido, na França, clima para as pregações de São Luiz Grignion de Montfort e para que também se generalizassem pelo mundo inteiro — São Luiz Grignion também viveu no tempo de Luiz XIV — e teria se conseguido evitar a Revolução Francesa. Mediante esse pedido feito ao rei, a Revolução, na forma que tinha ao tempo de Santa Margarida Maria, teria estancado; a forma péssima que tomou depois e que foi a Revolução Francesa, teria sido prevenida.
Portanto, essa devoção, logo no seu primeiro movimento, em sua primeira indicação da parte do Sagrado Coração, tem um sentido nitidamente contra-revolucionário.
O professor Furquim, estudando detidamente isso, chama a atenção para [o fato de] que os vários movimentos contra-revolucionários [que] se esboçaram nos séculos XVIII e XIX tinham ligação com o Sagrado Coração de Jesus. Os senhores sabem que os "chouans" também levaram o Sagrado Coração no distintivo, e que essa devoção tem sido, invariavelmente, preconizada pelos bons, tem inspirado os bons e tem sido para eles uma causa de alento, enquanto tem sido detestada pelos maus.

O que dizem os maus contra a devoção ao Sagrado Coração de Jesus? Primeiro uma coisa que pensam ser um argumento decisivo: "por que adorar o Coração de Jesus? Não poderíamos fazer uma linda devoção às Sagradas mãos de Jesus? Aos Sagrados olhos de Jesus? Então, decompomos blasfemamente Jesus e vamos fazer uma adoração a cada parte do corpo. Então, fazemos uma adoração às orelhas, que ouvem todas as súplicas do homem, à boca, que falou, às mãos que abençoaram (não dizem que também fustigaram...). Então, não vale a pena fazer essa devoção".
"Depois, dizem eles, é uma devoção sentimental. O coração é o emblema do sentimento para o sentimentalismo. Portanto é uma devoção sentimental, sem conteúdo teológico e não deve ser admitida".
Na realidade, a Santa Sé, várias vezes, por meio de documentos pontifícios solenes, substanciosos, magníficos, recomendou essa devoção [cfr. Por exemplo, a encíclica "Inscrutabile divinae Sapientiae" do Papa Pio VI, em 1775]; cobriu de indulgências a devoção das primeiras sextas-feiras, ligadas à devoção ao Sagrado Coração de Jesus, porque é a comunhão feita em reparação às ofensas que o Sagrado Coração de Jesus recebe. Ela cumulou de indulgências as confrarias e arquiconfrarias que Ela mesma instituiu em favor da devoção do Sagrado Coração de Jesus. Ela aprovou e estimulou a construção de igrejas, altares e imagens em louvor do Sagrado Coração.
Quanto ao mistério da Igreja, essa devoção é, tem sido aprovada de modo superabundante e tem tudo para merecer nossa confiança. De outro lado, esse argumento de que não se pode ter uma devoção a cada parte do sacratíssimo corpo de Nosso Senhor, não tem sentido nenhum. De fato, privadamente falando, podemos adorar a Nosso Senhor em suas mãos santíssimas, podemos e devemos adorá-Lo em seus olhos infinitamente expressivos, significativos, régios, doutorais e salvadores. Pensar que com um só olhar Nosso Senhor regenerou São Pedro, e adorar Nosso Senhor inclusive em seus olhos divinos, evidentemente é uma coisa que se pode fazer.
Apenas a Igreja, que tem muito o senso do ridículo, e que compreende que o ridículo fica a um passo do sublime, compreende que os espíritos vulgares teriam facilidade em pôr sarcasmo contra uma coisa que assim desmembrada realmente choca um pouco a sensibilidade humana, mas que nada tem de contrário ao raciocínio e que até muito adequadamente pode fazer-se. Por exemplo, conta-se de pedras da via sacra - sobretudo de uma - no caminho de Nosso Senhor, que teria a marca de seus pés divinos. Ao adorar seus pés divinos enquanto palmilharam a terra para ensinar, enquanto encheram-se do pó dos caminhos para ensinar e salvar, para combater o mal, adorar esses pés enquanto serviram para carregar a cruz, enquanto se encheram de sangue para nossa Redenção, enquanto suportaram os cravos da Paixão, é perfeitamente verdadeiro, legítimo, necessário.
E até um lindo modo de adorarmos a Nosso Senhor Jesus Cristo é nos unirmos às disposições e meditações de Nossa Senhora, na ocasião em que Nosso Senhor foi descido da cruz, quando Ela teve seu corpo sacratíssimo no colo, exangue. Ela contemplou cada parte desse corpo machucado com uma dor, com uma profundidade de conceitos, de amor, de veneração, de respeito, de carinho. Ela considerou cada uma dessas partes, adorou, com certeza, cada uma dessas partes em sua significação e sua função específica; mediu a ofensa feita à divindade no ter flagelado aquela parte e com isso - afinal de contas - Ela praticou essa devoção.
Portanto, é apenas uma questão de conveniência, uma questão de senso das aparências, senso das proporções, se ousasse exprimir-se assim, que leva a Igreja a não promover a adoração de cada uma das partes do corpo de Nosso Senhor.

O que é, propriamente, a devoção ao Sagrado Coração? É a devoção ao órgão de Nosso Senhor, que é o Coração. Mas na Escritura, o coração não tem o significado sentimental que tomou no fim do século XVIII, mais ou menos, e certamente no século XIX. Não exprime o sentimento. Quando diz a Escritura: “A ti disse o meu coração: eu te procurei”, o coração aí é a vontade humana, é o propósito humano, é propriamente, a santidade humana. Aí quando Nosso Senhor diz isso, diz: "na minha vontade santíssima, Eu quero". O Evangelho diz: “Nossa Senhora guardou todas as coisas em seu coração e as meditava”. Os senhores percebem que não é o coração sentimental, mas a vontade dEla, a alma dEla que guardava aquelas coisas e pensava sobre elas. O coração é a vontade da pessoa, o seu elemento dinâmico que considera e pondera as coisas. O Sagrado Coração de Jesus é a consideração disso em Nosso Senhor, simbolizado pelo coração, porque todos os movimentos da vontade do homem podem ter no coração uma repercussão. Nesse sentido, então, é o órgão adequado para exprimir isso. E é nesse sentido, então, que se adora o Santíssimo Coração de Jesus.
Por correlação, por conexão, existe a devoção imensamente significativa, do Imaculado Coração de Maria. O Imaculado Coração de Maria é um escrínio dentro do qual encontramos o Sacratíssimo Coração de Jesus .
A essa devoção Nosso Senhor prometeu um caudal de graças. Comentei o ano passado as promessas do Coração de Jesus a quem fizer as nove primeiras sextas-feiras. A mais marcante delas, talvez, é que as almas que fizerem as nove sextas-feiras não morrerão sem terem a graça especial de se arrependerem antes. Não quer dizer que elas certamente irão para o Céu. Quer dizer que terão uma grande graça antes de morrer; não quer dizer que vão perceber que vão morrer, mas no momento relacionado com a morte, elas terão uma grande graça, tão grande que todas as esperanças se podem ter de sua salvação.
Os senhores compreendem quanto empenho há na Igreja em que essa devoção seja conhecida, seja apreciada, seja medida com a razão, porque devoção sentimental não tem sentido. Devoção varonil é a que procura conhecer a razão de ser da coisa e ama a coisa pela sua razão de ser; assim é que um homem e uma mulher forte do Evangelho pensam a respeito das coisas de piedade. Então, pensar nisso, querer isso, dirigirmos nossa alma ao Coração de Jesus como fonte de graças calculadas para a época de Revolução, calculada para as épocas difíceis que deveriam vir e pedir que o Coração de Jesus, regenerador pelo sangue e pela água que dEle saiu, nos lave. Isto é propriamente a oração magnífica que nas sextas-feiras e, sobretudo, na primeira sexta-feira do mês, e na Sexta-feira da Paixão se deve considerar.
Assim, termino insistindo nesse ponto. Já falei que aquele centurião que perfurou com uma lança o Coração de Jesus, ao praticar esse ato de violência contra esse verdadeiro sacrário que era o Coração Sagrado de Jesus, da água e do sangue que saíram do flanco de Nosso Senhor, uma parte jorrou em seus olhos, e ele imediatamente se curou e recuperou a vista. Para nós isto é altamente eloqüente.
Quer dizer que quem tem devoção ao Sagrado Coração de Jesus pode pedir uma graça igual, não para a vista física, da qual, graças a Deus, nenhum de nós carece, mas para a vista mental, se queremos ter senso católico, se queremos ter senso da Revolução e da Contra-Revolução, se queremos ter a percepção de como a Revolução e a Contra-Revolução trabalham em torno de nós, se queremos ter senso para distinguir em nós o que é Revolução e Contra-Revolução, se queremos ter conhecimento de nossos defeitos, se queremos ter conhecimento das almas dos outros para fazer bem aos outros, se queremos ter um bom discernimento para os estudos, se queremos ter distâncias psíquicas para termos equilíbrio mental e nervoso e para nos curarmos — o quanto possível — de molezas de toda ordem, podemos e devemos recorrer ao Sagrado Coração de Jesus que, com uma graça jorrada dEle — como a água que curou o centurião — possa eliminar a cegueira de nossas almas, porque somos cheios de cegueiras de todos os graus e ordens.
Peçamos ao Sagrado Coração de Jesus, por intermédio do Coração Imaculado de Maria — porque só assim, por intermédio de Nossa Senhora é que se obtém dEle as graças que nos curem dessa múltipla cegueira —, e teremos feito um esplêndido pedido e estaremos a caminho de conseguir uma magnífica graça.

domingo, 22 de agosto de 2010

Beatificação de John Henry Newman deve acontecer no mês de setembro de 2010.




“se olhasse um espelho e não visse meu rosto, provaria o mesmo tipo de sentimento que, efetivamente, se apodera de mim cada vez que examino este mundo frenético e não vejo o reflexo do seu Criador’”
Cardeal John Henry Newman, a glória da Inglaterra e de toda a Igreja, será beatificado em setembro.
Na cerimônia de sua beatificação, várias comunidades anglicanas, devem pedir a volta à verdadeira Igreja de Jesus Cristo.

domingo, 8 de agosto de 2010

COLETA DE ASSINATURAS NA IGREJA NOSSA SENHORA APARECIDA - IPIRANGA - SP

Neste domingo, dia 08 de Agosto, voluntarios da Associação do Apostolado do Sagrado Coração de Jesus, fizem coleta de assinaturas para a mudança do nome da Praça Salvador Allende, para Praça Sagrado Coração de Jesus.












video

sábado, 7 de agosto de 2010

RITUAL ROMANO DA MISSA COMEÇA A SER CELEBRADO EM FRANCA - SP.



Dom Pedro Luiz Stringhini - Bispo de Franca







A partir de agosto de 2010, começa a ser celebrada em Franca - SP, o mais belo Rito Católico. Trata-se do Ritual Romano restaurado pelo Papa santo Pio V em 1570 baseado nas mais antigas e veneráveis fontes litúrgicas Ocidentais. Neste rito a doutrina Católica é apresentada em sua mais pura expressão através de orações e rituais, e, permite por parte do sacerdote e dos fiéis honrar e glorificar a Deus, a expiação dos pecados e o agradecimento a Deus pelas graças que Ele concedeu ao mundo. Tudo isto de maneira elevada e iniquivoca.
A missa come a ser celebrada em Franca graças ao apoio de V.Ex.ª Rev.ma
Dom Pedro Luiz Stringhini, ao sr. Marcos Sulivan, à comunidade de fiéis da cidade de Franca e ao apoio dado pelo Sr. Prof. Cláudio A. A. Pompeu, Coordenador do Nacional da Associação do Apostolado do Sagrado Coração de Jesus.
Sugerimos aos moradores de Franca e a todos que estejam de passagem por lá, que assistam a Missa no Ritual Tridentino.


O Tremendo Valor da Santa Missa


Na hora da morte, as Santas Missas que tiverdes ouvido devotamente serão vossa maior consolação.

Deus vos perdoa todos os pecados veniais que estais determinados a evitar. Ele vos perdoa todos os vossos pecados desconhecidos que jamais confessáreis. O poder de Satanás sobre vós é diminuído.

Cada Missa irá convosco ao Julgamento e implorará por perdão para vós.

Por cada Missa tendes diminuída a punição temporal devida a vossos pecados, mais ou menos, de acordo com vosso fervor.

Assistindo devotamente à Santa Missa, rendeis a maior homenagem possível à Sagrada Humanidade de Nosso Senhor.

Através do Santo Sacrifício, Nosso Senhor Jesus Cristo repara por muitas de vossas negligências e omissões.

Ouvindo piedosamente a Santa Missa, ofereceis às Almas do Purgatório o maior alívio possível.

Uma Santa Missa ouvida durante vossa vida será de maior benefício a vós do que muitas ouvidas por vós após vossa morte.

Através da Santa Missa, sois preservados de muitos perigos e infortúnios, que de outra forma cairiam sobre vós. Vós encurtais vosso Purgatório a cada Missa.

Durante a Santa Missa, vós ajoelhais entre uma multidão de santos Anjos, que estão presentes ao Adorável Sacrifício com reverente temor.

Pela Santa Missa sois abençoados em vossos bens e empreendimentos temporais.

Quando ouvis a Santa Missa devotamente, oferecendo-a ao Deus Todo-Poderoso em honra de qualquer Santo ou Anjo em particular, agradecendo a Deus pelos favores dispensados nele, etc., etc., vós conseguis para aquele Santo ou Anjo um novo grau de honra, alegria e felicidade, e dirigis seu amor e proteção especiais para vós.

Toda vez que assistis a Santa Missa, entre outras intenções, deveis oferecê-la em honra do Santo do dia.
São Leonardo de Porto Maurício
Imprimatur + Michael Augustine
Archbishop of New York, Jan 2, 1890.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Praça Salvador Allende não!!!

A campanha de coleta de assinaturas para a mudança de nome da Praça Salvador Allende (ditador, comunista e suicida), para Praça Sagrado Coração de Jesus (Salvador do Mundo), continua durante todo o mês de julho, com apoio da população de São Paulo.


















quinta-feira, 29 de julho de 2010

FÓRUM - As ameaças do Programa Nacional dos Direitos Humanos–3 continuam!





O prof. Cláudio Antônio Arantes Pompeu, coordenador Nacional do Voluntariado da AASCJ, convida você a participar do Fórum
As ameaças do Programa Nacional dos Direitos Humanos–3 continuam!


Em 22 de dezembro de 2009, por decreto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pôs em vigor o Plano Nacional de Direitos Humanos-3 (PNDH-3), texto agressivo, totalitário e coletivista, que traumatizou a Nação.
O diploma legal, saudado com entusiasmo pelas esquerdas, não teve condições políticas de sustentação.
Quase cinco meses depois, premido pelo clamor da inconformidade popular e por conveniências eleitorais, o governo finalmente alterou em pontos fundamentais o PNDH-3. Foi verdade ou show? Você precisa saber para ficar atualizado.
O que pensar deste programa da coligação governista, que procura enfiar o Brasil nos moldes de sua utopia de destruição?
_ O governo, ao ajustar pontos do programa que traumatizaram a Nação, ferindo-a em seus sentimentos de religião, nacionalidade e autonomia pessoal, recuou como foi noticiado por certa imprensa? Ou fez retirada momentânea sem abandono a objetivos programáticos irrenunciáveis para revolucionários, hoje no governo, obcecados por seus ideais de demolição?
Estas e outras perguntas de enorme atualidade serão respondidas por especialistas na matéria, com grande experiência da vida pública brasileira.

Local

Dia 26 de agosto de 2010
Local: GOLDEN TULIP – Paulista Plaza
Endereço: Alameda Santos, 85 – Jardins – São Paulo
Maiores informações nos endereços

www.pelalegitimadefesa.org.br ou

http://painel.pndh3.blogspot.com


Prof. Ives Gandra da Silva Martins
As inconstitucionalidades no PNDH-3.



Príncipe D. Bertrand de Orleans e Bragança
A corrosão do direito de propriedade no PNDH-3.
Reforma agrária, quilombolas, questão indígena.


Deputado Federal Jairo Paes de Lira
O PNDH no Congresso Nacional.
Aborto, “casamento homossexual” e desarmamento.


Dr. Paulo Uebel, Diretor executivo do Instituto Millenium
Aspectos econômicos do PNDH-3
– A prosperidade e o desenvolvimento humano



19:30 hs Recepção e welcome coffee
20:00 hs Início do forum
22:00 hs Considerações finais e Encerramento